ROTEIRO DE 5 DIAS EM FLORIANÓPOLIS

Florianópolis, Floripa, ou Ilha da Magia é um paraíso no Sul do Brasil e se você ainda não conhece, deveria pensar em visitar essa Ilha!! Com menos de 500 mil habitantes, às vezes é difícil acreditar que você está em uma capital. Belezas naturais, simplicidade, gente bonita, praias paradisíacas e comida boa, isso e muito mais você encontra na Ilha.

.

Caso você esteja no Norte ou Nordeste do Brasil de onde não saem voos diretos para Florianópolis, não aconselhamos uma viagem com menos de 4 dias já que terá que fazer conexão de voos, assim, a viagem pode se estender um pouco mais que o planejado. O mínimo que passei foram 4 dias e com a escolha certinha do voo conseguimos chegar em menos de 7 horas saindo de Fortaleza.

Este roteiro de 5 dias foi elaborado a princípio para quem vai a primeira vez à Florianópolis, mas caso você já conheça a Ilha, pode adaptá-lo como melhor lhe convier.

Dia 1- Centro, Mercado Municipal e Beira Mar

Gosto de começar a conhecer as cidades que visito pelo seu Centro Histórico, pois ali encontramos grande parte da história das mesmas. Comece seu roteiro pelo Mercado Municipal, onde você vai encontrar alguns boxes de comidas e lembrancinhas, o mais conhecido deles é o  Box 32 e vale dar uma parada para um pastel e um chop, ali perto tem o Camelódromo, e como o nome já diz, é uma reunião de camelôs organizados em boxes!

De lá siga até a Praça XV de Novembro onde está a famosa figueira centenária e é impressionante ver seus troncos e galhos sustentados por uma base de metal. Anos depois da nossa visita, soube que tem uma lenda que quem der a volta na figueira atrai casamento e dinheiro….ainda bem que já rolou o casamento!!! Colado à Praça está também a Catedral Metropolitana de Florianópolis.

Outro ponto histórico no Centro é o Palácio Cruz e Souza que já foi sede do Governo de Florianópolis e hoje em dia abriga o Museu Histórico de Santa Catarina.

Do centro você pode seguir a pé até a Beira Mar Norte, finalizando no Beiramar Shopping. Dependendo do clima, é um passeio bem agradável pela orla e no caminho você ainda vai passar pela Ponte Hercílio Luz, cartão postal de Florianópolis.

Para visualizar todos os pontos desse Dia 1 no mapa, acesse aqui.

 

Dia 2- Centro da Ilha: Joaquina, Praia Mole, Galheta e Lagoa da Conceição

Meu combo preferido!!! Para quem curte natureza e tem um estilo mais  alternativo, sugerimos sua hospedagem na Lagoa da Conceição. Aqui estão também algumas das praias preferidas pelos surfistas, Joaquina e Galheta. Da Lagoa da Conceição, você pode alugar uma bike e seguir até a Joaquina, ou então, fazer o caminho pelas dunas da Joaca até a praia. É bem legal, mas não aconselhamos que seja feita em dias de sol muito forte. Joaquina é uma das praias preferidas dos surfistas!

Praia da Joaquina

Da Joaquina siga para a Praia da Galheta, mas antes uma passada no Mirante da Praia Mole para apreciar a Lagoa da Conceição, que tem cerca de km de extensão!!! A Praia da Galheta fica após a Praia Mole, mas achamos que fica melhor você fazer logo a Galheta e vir voltando para a Mole. Quando sair do Mirante, entre na primeira entrada de estacionamento à direita, bem no canto começa uma trilha em direção ao final da Praia Mole que dá acesso a uma trilha para a Galheta (é, em Floripa vc tem que enfrentar umas trilhas para chegar na praia!!). essa trilha termina no Bar do Deca, continue à direita onde tem algumas pedras e pegue a trilha para a Galheta.

A Praia da Galheta é uma das praias do Brasil onde o naturismo é permitido, porém não obrigatório como acontece em Tambaba -PB, não estranhe se já encontrar na trilha alguns adeptos desse estilo. Conversando com alguns locais, percebemos que a Galheta é bem procurada por surfistas da região, mas também por curiosos, e é uma pena, pois o naturismo é algo que infelizmente no Brasil ainda é visto como piada, as pessoas vão para ficar reparando nos outros, quando deveria ser algo mais natural, enfim, frequentamos por ser uma praia super limpa, já que é cercada por montanhas não tem acesso de esgotos, tanto que a água é transparente, o banho de mar é uma delícia e a praia é bem bonita, tem uma extensa faixa de areia, e esse acesso dá um certo charme ao local já que ele fica todo cercado pr pedras e montanhas, acho que é nossa preferida!

Voltando da Galheta, siga para a Praia Mole onde você terá algumas opções de barracas, nessa ordem de quem está vindo da Galheta as que conhecemos são: Bar do Deca, Barraco da Mole e Araguá. O Bar do Deca, atrai o público GLS e no carnaval é super procurado, com festas que se estendem até a madrugada; o  Barraco da Mole que quando conheci em 2008 era o point da galera, mas dessa vez nem chegamos a ficar lá pois achamos bem fraquinho o movimento; e o Aragua que é uma ótima opção para quem curte comida natural, vegetariana e saudável. Como saladas, salgados sem glúten, sem lactose, e a deliciosa torta de banana integral (vale a pena ir lá só comer!!!). No Araguá funciona também uma escola de surf, e se quiser relaxar você ainda pode fazer uma massagem.

Praia Mole

Saindo da Praia Mole você tem a opção de ir de carro até a Lagoa da Conceição, ou ir andando por mais uma trilha no caminho!!! Em dias de trânsito intenso (feriados prolongados e verão), essa é a opção mais rápida e  a caminhada dura 10 a 15 minutos em média. Entre nesse atalho e saia no Bar do Boni, que fica bem no final da Avenida das Rendeiras, dali você terá a Lagoa à sua frente, pode ser no final de tarde, andar pela orla e seus restaurantes, ou apreciar a lagoa.

Lagoa da Conceição

Para visualizar todos os pontos desse Dia 2 no mapa, acesse aqui.

Dia 3- Costa da Lagoa e Centrinho da Lagoa

Esse é um passeio que eu curto muito fazer! Considera-se a Costa da Lagoa a extensão que vai da Ponte do Centrinho da Lagoa até a Barra da Lagoa, todo esse lado tem muita natureza preservada e você pode desbrava-la. Para quem estiver nas praias do norte, pode pegar o barco na Barra da Lagoa, caso esteja mais próximo da Praia Mole e Joaquina, por exemplo, os barcos saem o terminal que fica na ponte do centrinho da Lagoa. A passagem custa R$ 10,00 por trecho e você pode fazer uma parte de barco e outra a pé pela trilha. Seguimos até o Pier 16, um dos mais estruturados para visitantes, com restaurantes que oferecem as tradicionais sequencias de camarão, que por sinal, vale a pena conhecer nem que seja uma vez. Do Pier 16 siga pela pequena vila até chegar na entrada da cachoeira. Quando a conheci em 2008, cheguei ali de surpresa meio que sem saber e fui surpreendida pela cachoeira, que virou um dos passeios mais bacanas pra gente, pena que hoje em dia o volume de água não é tanto quanto antes mas continua sendo interessante sentar e sentir uma pouco daquela energia. Depois de curtir você tem duas opções: comer nos restaurantes e pegar o barco de volta, ou voltar pela trilha até os piers anteriores e em seguida pegar o barco. Sempre escolhemos a segunda opção, e coincidentemente nossa vontade de pegar o barco sempre chega no Pier 8! Coisas da Ilha! E que píer delicioso, você nem sente o tempo passar esperando o barco ali naquela paz, naquele sossego… Lembrei de mais uma opção, voltar no barco até o Pier do Canto dos Araçás e voltar na trilha até o centrinho, esse trecho eu já fiz uma parte mas na direção contrária, saí do centrinho até um certo ponto.

Cachoeira na Costa da Lagoa
Costa da Lagoa

Depois de conhecer a Costa, aproveite que está na Lagoa e conheça o centrinho da Lagoa, onde os prédios tem no máximo três andares, e as opções de comidinhas são muitas, vale a pena também o passeio pela loja da Mormaii, marca de surf mundialmente conhecida e natural de Santa Catarina. Estou finalizando o post sobre onde comer na Lagoa da Conceição, e em breve atualizo com as nossas escolhas no centrinho! Se ainda tiver gás, nossa pedida para terminar o dia é o John Bull Pub Floripa, onde rolam festinhas de quinta a domingo, de frente para a Lagoa.

Para visualizar todos os pontos desse Dia 3 no mapa, acesse aqui.

Dia 4- Sul da Ilha: Pântano do Sul, Matadeiro e Lagoinha do Leste

Esse é um roteiro mais aventureiro e que precisa ter um pouco de gás. O sul da ilha tem praias bem nativas e para chegar à uma delas, por exemplo, é preciso fazer uma trilha. Estamos falando da Lagoinha do Leste, cujas trilhas partem de Pântano do Sul ou Matadeiro, e por sinal, a primeira é uma trilha bem complicadinha. Quando fizemos estava chovendo, então já viu, né? Algumas subidas são bem íngremes, escorregadias, mas o visual vale a pena, no meio do caminho você avistará do alto o Pântano do Sul e depois de alguns metros a Lagoinha aparecerá à sua frente!! Sugerimos reservar um dia para conhecer o sul da ilha pois dependendo de onde você esteja hospedado, tem um tempo para deslocamento, e só de trilha são cerca de 2 horas cada trecho. Se você não é muito fã de caminhadas, nem vá, procure alguma praia mais tranquila como as do Norte. As praias do Sul são mais intocadas e desertas, ideais para quem quer desbravá-las.

Visual do Pântano do Sul
Lagoinha do Leste em um dia super nublado!

Para visualizar todos os pontos desse Dia 4 no mapa, acesse aqui.

 Dia 5- Norte da Ilha 

No Norte da Ilha estão as praias mais tranquilas em relação ao mar e acesso, como Jurerê Internacional, Daniela, Canasvieiras e Ingleses. Jurerê é conhecida como a praia das baladas, dos Dj’s internacionais e de alto nível financeiro e também é procurada por famílias por ter um mar mais tranquilo para banho. Na alta temporada, as festas são super concorridas e champanhe é a bebida preferida de 8 em cada 10 pessoa!

Já na sua vizinha, Praia da Daniela é bem mais sossegada em relação a agitos e tem um ambiente mais familiar. Delimitada por pedras de um lado e manguezal do outro, não tem uma faixa de areia muito extensa, porém, o mar é bem calmo, ideal para ir com crianças. Outras praias bem procuradas por turistas, principalmente do Mercosul são Ingleses e Canasvieiras, atraídos por suas águas quentinhas e tranquilas. Faça seu tour seguindo a sequência das praias: Ingleses, Canasvieiras, Jurerê Internacional e Daniela. De lá, siga para Santo Antonio de Lisboa e depare-se com um cantinho bem especial de Floripa, uma da primeiras comunidades fundadas por imigrantes açorianos, aqui é perceptível a sua presença na cultura, gastronomia e arquitetura. Na minha opinião, é um dos lugares mais charmosos de Floripa, e o melhor lugar para saborear as famosas Ostras da região, se for final de tarde então, tem um charme a mais!

Santo Antônio de Lisboa

Para visualizar todos os pontos desse Dia 5 no mapa, acesse aqui.

Tem mais dias? Acrescente a Ilha do Campeche!! Esse é um passeio que dura o dia todo, o barco te deixa na Ilha de manhã e retorna à tarde para buscá-lo.

Não se prenda às praias desse roteiro, nossa intenção é que ele possa te dar uma noção do que fazer e o que seguir mais ou menos. Florianópolis tem inúmeras praias e cantinhos, essas são as nossas dicas pois tudo o que curtimos e gostamos de fazer nós indicamos.

Para hospedagem, aconselhamos que você procure em um site confiável como  o Booking. Faça sua pesquisa e sua reserva neste link e colabore com o Blog Vamos Viajar, para isso, você não paga nada a mais e ainda estará nos ajudando!!  

 

Quer saber qual é nossa Floripa? Te conto aqui!!

Veja também:

Pôr do sol no Ceará O Pôr do Sol do Ceará é uma das belezas do nosso Estado!! Também, com um litoral de grande extensão, o que não falta é cenário para apreciá-lo, de...
O que fazer em Fortaleza O que fazer em Fortaleza? Post atualizado em 18.12.17   O que fazer em Fortaleza, um dos destinos nacionais mais procurados para férias? É ...
O que fazer em Icaraí de Amontada – Ceará No litoral Oeste do Ceará, esconde-se um pequeno pedaço do paraíso: Icaraí de Amontada, uma vila de pescadores, a mais ou menos 200 km de Fortaleza. A...
As praias e cantinhos de Floripa A Ilha de Santa Catarina, concentra cerca de 96,5% do território do município de Florianópolis, restando pouco mais de 3% no continente!! Com cerc...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *