Largar tudo x Contas a pagar

Meses atrás, “bombou” na web um artigo onde a autora falava do desejo de largar tudo e ser feliz. “A geração que encontrou a felicidade no pedido de demissão”, era mais ou menos esse o título. Resumindo, profissionais super competentes e com uma sólida carreira profissional não se viam mais felizes nos seus empregos e largavam tudo para viajar pelo mundo e encontrar um propósito para as suas vidas. Logo em seguida, veio a réplica, outro post abordava o mesmo tema, mas com outro ponto de vista, que a nossa geração não pode se dar ao luxo de largar seus empregos para viajar e ser feliz, porque infelizmente a maioria tem suas contas para pagar.

Inspirada nesses artigos, resolvi escrever este post sobre o meu ponto de vista a respeito da grande dúvida entre “largar tudo x contas a pagar”. 

Largar tudo é viver sempre de férias?

Sou contadora há mais de 10 anos, sempre trabalhei na área, mas vez por outra me vem o pensamento de querer largar tudo e ir embora. Quem nunca pensou nisso que atire a primeira pedra. É aquela coisa, quando éramos adolescentes, tivemos que escolher aos 16, 17 anos a profissão que nos acompanharia pelo resto da vida, mas quem disse que aquela profissão nos manteria motivados e felizes com a escolha após alguns anos de trabalho?

E quem disse também que as profissões são estáveis? Que aquela decisão de adolescente deve permanecer pelo resto da vida? Hoje em dia temos infinitas possibilidades que nos permitem ser o que quisermos num piscar de olhos, além do que, para trabalhar não é preciso estar fisicamente em um lugar. Quantos nômades e viajantes conhecemos e nem por isso deixaram de trabalhar?

Uma grande maioria está insatisfeita com os rumos que sua carreira tomou, ou insatisfeita com o trabalho sem propósito, e tem esse desejo de querer largar tudo, fazer um trabalho voluntário do outro lado do mundo, colher uvas num vilarejo, alimentar elefantes na África, enfim, ser feliz e poder fazer algo que acrescente na sua vida e na vida de outras pessoas.

Quando comecei a conhecer o mundo: Buenos Aires 2010

Conversando com colegas de profissão e amigos blogueiros, percebi que essa é uma queixa de 7 em cada 10 pessoas!!! Sim, eu fiz essa pesquisa e pude perceber o quanto as pessoas estão infelizes nos seus trabalhos e no rumo que sua profissão tomou, aprisionadas em algo que não as deixam felizes, mas que precisam daquilo para viver. 

Somos também uma geração que está insatisfeita com o trabalho, no auge dos nossos 30 e poucos anos estamos perdidos sem saber o que fazer da vida, acomodados num emprego que não nos faz felizes, muitos estão com aquele sentimento de que falta algo, uma vontade de jogar tudo pra cima e sair por ai pra ver o mundo. Será que o que faz você feliz é estar em um lugar que te deixa preso?

Vida boa tem um preço….

Largar tudo e sair por ai parece que virou moda ultimamente, é o sonho dourado de muitas pessoas e a ideia soa bem a princípio, mas, logo nos deparamos com a realidade, ou seja, que aquele trabalho, mesmo que chato é necessário para pagar as contas e bancar nossas viagens.

Mas, se a insatisfação na carreira é a queixa da maioria, é sinal de que existe algo errado. Compartilho um pouco das duas opiniões dos textos citados no início desse post, sim, somos a geração que quer largar tudo e viajar o mundo, e ao mesmo tempo a geração que não pode se dar ao luxo de fazer isso. 

A felicidade de quem está de férias e com os boletos pagos!!!!

Então, o que nos faria jogar tudo pra cima e viajar para outro país sem a perspectiva de trabalhar na nossa área? Abrir mão de uma carreira sólida e fazer algo que não precisa de muitos estudos ou conhecimentos, seria um retrocesso? Na minha perspectiva, acho que nós, brasileiros, ainda temos certos preconceitos com quem não tem diploma, e isso é algo que precisa ser mudado. Não acredito mais que um bom cargo numa empresa reconhecida gere status, não vejo mais isso como uma grande vantagem, talvez por ter percebido que é melhor ter experiências de vida a acumular cargos e títulos. Me admira mais esse estilo de vida. 

Viva o momento, as experiências….

Só que voltamos ao segundo ponto, diante da atual situação do Brasil, temos sim que engolir alguns sapos pensando no que aquele trabalho nos proporcionará, seja uma viagem futura, um curso de férias, conhecer o destino dos seus sonhos, enfim, às vezes quando pensamos racionalmente percebemos que a ideia dourada do largar tudo não é tão simples assim, afinal, as contas continuarão chegando e muitos brasileiros não podem realmente se dar ao luxo de pensar nisso, infelizmente. 

Acredito que abrir mão da sua carreira é um ato de muita coragem e exige um certo planejamento. Sim, é possível manter-se bem financeiramente por um tempo e depois encontra-se em outro meio, mas compartilho da ideia de que tudo precisa ser bem pensado e planejado. Como já falei nesse post, eu trabalho e muito para poder bancar as minhas viagens, e com o planejamento é possível você viver seus sonhos, seja de um mês ou de um ano, ou de uma vida inteira!!!

Eu, por exemplo, sempre penso em mudar de rumo e de carreira, não me imagino mais fazendo a mesma coisa por muito tempo e acho que isso que nos move, sempre ter algo a mudar, algo a conquistar…. Mas sou segura o bastante para saber que eu só saio da minha zona de conforto se for para um projeto que valha a pena, e quando a hora chegar vou encarar como mais uma mudança e não como uma fuga. 

Pensando na vida nesse bar roots em Malta

Na minha opinião, não há um artigo certo ou errado, não existe um pensamento correto ou não, cada pessoa sabe da sua vida e o que fará para conquistar seus sonhos, o que existem são pontos de vista que nos fazem refletir e nos ajudar a tomar alguma decisão. Suponho que quem decide largar tudo não toma essa decisão da noite pro dia, afinal, as contas continuarão chegando, quer você esteja na sua casa ou por ai. 

Este, por sinal, é outro ponto que merece um post inteiro, quando temos esse sentimento de querer conhecer o mundo, muitas pessoas acham que estamos querendo fugir de algo, só posso lamentar quem ainda pensa assim.

Eu super apoio quem decide buscar em outros países novas oportunidades e sonhos, e meus conselhos são:

1- Ouça seu coração, o que você deseja para você daqui um mês, um ano uma década. Saber o que você quer já é um bom começo para qualquer decisão;

Largar tudo não pode ser uma fuga

2- Com planejamento é mais fácil tornar seus sonhos realidade, seja para uma viagem de férias ou de volta ao mundo;

3- Guarde dinheiro, economize para seus sonhos;

4- Viva seus desejos, não queira ter a vida daquela pessoa, fazer da maneira dela, inspire-se mas busque o seu próprio caminho;

5- Tenha suas prioridades, seja ela qual for. Eu escolhi não ter carro, inclusive falo sobre isso nesse post,  e nem ter filhos, minha prioridade é viajar, mas recebo muitas críticas por essas decisões. Tento entender que ainda é difícil para uma sociedade tão consumista e vaidosa o fato de eu não ter carro e não querer filhos, paciência né? Como diz a filha de uma grande amiga: ah, mãe, mas já tem tanta gente no mundo!;

6- Assuma sua decisão. De novo, seja ela qual for! Penso que quando uma pessoa decide ter um estilo diferente, ou até mesmo de não ter o carro ou os filhos do exemplo acima, ela tem que estar preparada para aceitar as críticas e manter suas decisões firmes. Escolheu cuidar dos filhos e não trabalhar? bata no peito e diga que essa foi a sua decisão e fique feliz por ela, não ache ruim e nem fuja quando alguém perguntar se você trabalha. Decidiu andar de transporte público? Aguarde as críticas de quem acha que isso é um absurdo e responda de boa! Optou por não ter filhos? Tenha a resposta cera para quem perguntar sobre…e por ai vai…assuma e tenha orgulho das suas decisões!!;

7- Assuma os riscos da sua decisão. Saiba que só você é o responsável pelo sucesso dos seus projetos, esteja preparado para o que der de errado e o que for uma experiência frustrada, perca de tempo. Assuma os riscos e aprenda com os erros também!

Resumindo, concordo que ter grana para se manter é sem dúvidas essencial, principalmente em um país como o nosso, onde somos obrigados muitas vezes a permanecer nos nossos empregos para sustentar nossas famílias, mas incentivo quem queira largar tudo e se jogar no mundo, porque não tem experiência melhor do que você ir lá ver com seus olhos, comer a comida diferente do lugar, conhecer a cultura, deparar-se com pessoas completamente diferente, ver paisagens antes vistas só em filmes, enfim, viajar enriquece de um modo que não tem careira, emprego e dinheiro que te faça mais rico. Largar tudo sim, mas sou a favor de fazer tudo com planejamento e de forma pensada. Lembre-se: o que você viveu, ninguém tira! E é só isso que levamos dessa vida, os bons momentos!

P.S.: Não, este post não é um desabafo mas talvez uma reflexão do que realmente importa nas nossas vidas, afinal, do que nos faz felizes e o que estamos fazendo para ser feliz.

Living my best life!

P.S.2: Esse post foi escrito em 2017, mas como perdi meu Blog no passado ele se foi… POR SORTE o encontrei estes dias no Rascunho!!! Depois dele, em 2018, eu larguei tudo, pedi as contas e fui viver meu sonho. 

Agora posso começar a escrever a continuação desse post, com a minha real experiência sobre o que de fato há por trás do largar tudo… assunto para os próximos posts.

4 thoughts on “Largar tudo x Contas a pagar

  1. Amei muito o post! Estou justamente nessa fase de querer largar tudo kkkk, mas penso logo nas contas do mês. Então, estamos nos planejando para viagens curtas (5-10 dias ao longo de cada 2 meses e viagens maiores nas férias. Vamos que vamos que vai dar certo!

    1. Oi, Dani!!! Obrigada!!!!! é, antes de tudo é preciso muuuito planejamento e não fazer nada que vá atrapalhar seu orçamento! Eu amo essas viagens curtas tb, mas eu precisava muito de uma mais longa, por isso refleti muito antes de ir!!! Beijooo e boas viagens!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *