Roteiro de 3 dias em São Francisco

Depois de passarmos dois dias em Los Angeles, seguimos para São Francisco, e diferente da primeira, esta é uma cidade que é unanimidade entre os viajantes quando o assunto é ir ou não ir, e chegando lá não é difícil perceber por que! São Francisco pode ser perefitamente combinada com as outras queridinhas da Califa: Los Angeles – Las Vegas – San Diego, mas como nosso destino final era o Havai, tivemos que escolher apenas duas.

Quem vai curtir a Califórnia, pode perfeitamente chegar a alguma dessas das cidades e partir para as próximas e de lá também seguem voos para o Havaí, nossa parada seguinte. Já de Los Angeles a São Francisco, quem tem tempo pode fazer a rota Big Sur pela costa, numa road trip, aproveitando as cidades menores (tá na nossa lista), ma já me falaram que o interessante é fazê-la descendo, ou seja, de São Francisco a Los Angeles, pois você vai costeando o mar, assim o visual é mais interessante! Já quem não tem tanta disponibilidade de tempo, a opção é seguir de avião (essa foi a nossa escolha), num voo de cerca de 1h30min.

Foram apenas 3 dias em São Francisco, mas o suficiente para sentir o clima da cidade e incluí-la na nossa lista de preferidas!

E uma dúvida que sempre surge quando começamos a montar nossos roteiros é onde nos hospedar. Depois de muita pesquisa, percebemos que as áreas mais procuradas por turistas são a regiões do Fisherman’s Wharf e a Union Square, a primeira é bem turística e próxima à baía, mas apesar disso consegue manter manter um clima tranquilo e longe do agito; já a segunda é cercada por lojas, restaurantes, ou seja, nada tranquila, por lá o agito passa da meia noite e por ser uma área mais central os preços costumam ser mais altos. E põe alto nisso!! Os preços por lá igualam-se quase a Nova Iorque, e como ficamos com a segunda opção, foi difícil achar um hotel na região com um bom custo x benefício, mas depois de muita procura, achamos um muito bonzinho, simples, sem café da manhã, mas com bons quartos e boa localização. Para quem tiver interesse, reserve aqui.
Union Square

Nosso roteiro foi bem planejado, tentando adequá-lo ao nosso tempo, claro que quando chegamos lá algumas coisas acabaram ficando de fora e incluímos outras. Vamos lá?

1º Dia. Chegamos em São Francisco e seguimos para o Hotel de AIR TRAIN, descemos na Estação da Union Square por ser a mais próxima dele. E nada melhor que começar um tour por São Francisco por esta região da Union Square, um dos bairros mais agitados no quesito compras e restaurantes e também uma região bem central (como já falamos anteriormente), perfeita para hospedagem, tanto que por aqui encontramos a maior concentração de turistas. Nosso primeiro dia foi dedicado a explorar a região, que entre suas atrações estão os centros de compras e lojas de grife, como a Macy’s, Saks Fifht Avenue e o Westfield Century Center, bares e pubs.

Westfield Century Center

Na Union Square também encontramos vários corações como obras de arte, eles fazem parte de um projeto dede 2004, onde são pintados e os antigos leiloados, o dinheiro é revertido para o Hospital Geral de São Francisco, então, sempre que vir um coração desses, lembre-se da boa ação por trás dele!

Os corações da Union Square

Na Macy’s estão dois restaurantes bem bacanas, o Burger Bar e o The Chessecake Factory. Nossa escolha para a chegada foi o Burger Bar, com o seus hamburgers gourmet e um que não saía da minha cabeça desde que o vi num post da Fabi do Blog Viagens e Vivências o burger doce, com pasta de nutella, morango e kiwi! Delícia!! O prédio da Macy’s com sete andares também tem uma vista linda da Union Square, mesmo que você não vá em algum restaurante vale a pena dar uma subida nos últimos andares para conferir.

Burger Doce do Burger Bar
Union Square, vista do prédio da Macy’s
Union Square

Resumo do 1º Dia: Union Square, Westfield Century Center, Macys e Burger Bar.

2º Dia. Próximo ao Shopping Westfield Century Center fica o ponto inicial dos bondinhos Cable Car, clássicos de São Francisco e para evitar as longas filas a dica é acordar cedo e garantir o seu passeio. O ticket pode ser comprado diretamente no bonde (diario), ou caso prefira, adquira um passe MUNI que pode ser diária, semanal ou mensal, que dá direito a andar em qualquer linha de metrô, bus e cable car. Tem uma estação de venda bem ao lado da linha inicial dos bondinhos. Os cable car possuem três linhas: Powell- Hyde, Powell- Mason e Califórnia, essa última não é muito interessante para os turistas, apenas as duas primeiras. Nosso primeiro tour do dia foi pegar a linha Powell-Hyde Street e seguir até a Lombard Street e dali para a Ghirardelli Square. Da Lombard Street também tem-se a vista da Alcatraz.

Cable Car
Lombard Street
Lombard Street

Depois de muito sobe e desce na sinuosa rua, pegue o bonde da mesma linha até o ponto final (esse trecho é bem curto e pode ser feito também a pé), é lá próximo que fica a Ghirardelli Square, a loja de chocolates mais famosa da cidade.  Já estamos na região de Fisherman’s Wharf, dali siga em busca de outra loja famosa, a Padaria Boudin, que serve a conhecida, e deliciosa, sopa no pão. Da Boudin dá pra seguir a pé até o Pier 39, onde estão os divertidos, preguiçosos e fedorentos leões marinho,ah, e fofinhos, passamos um bom tempo só os observando, e vendo cada arrumação! rs. Tire uma manhã ou tarde para conhecer essa região que engloba o Fisherman’s Wharf e o Embarcadero, onde está o Ferry Building Marktplace e saboreie a variada gastronomia da região.

Fisherman’s Wharf
Padaria Boundin

A “famosa” sopa no pão da Boudin

Os preguiçosos leões marinho do Pier 39

Li muitos relatos de roteiros onde alguns aconselhavam caminhar do Pier 39 até o Pier 1 mas, gente, que distância, me perdoem, mas é muito longe!!!! Não conseguimos fazê-lo a pé, acabamos pegando um bus!

Ferry Building Marketplace  é um mercado repleto de experiências gastronômicas, mas foi difícil achar algum lugar para almoçar que não tivesse sanduíches, pães e afins no menu. Saindo do Ferry Building, voltamos para  Pier 1 e  encontramos um peruano muito bom, o La Mar.

Ferry Building Marketplace
Ceviche do LaMar

Bem alimentados, seguimos para um tour de bus na cidade sem destino final, passando pelo Civic Center, onde estão a Prefeitura de São Francisco, a Biblioteca Pública e o Museu de Arte Asiática. Saindo da Prefeitura, suba a Hayes Street (uma rua repleta de cafés, restaurantes e lojinhas estilosas), sentido Álamo Square, uma praça na parte alta da cidade, emoldurada pelas casinhas vitorianas conhecidas como Painted Ladies.

Foto: ronsaari.com/

Mais à frente chegamos ao Golden Gate Park, um parque enoormee, cheio de atrações como o Japanese Tea Garden, o Botanical Garden, Museu De Young, e California Academy of Science, mas preferimos mesmo foi ficar relaxando entre suas árvores, depois de um dia bem agitado!!!

Golden Gate Park

Perto do Golden Gate Park está o Castroum bairro de grande diversidade cultural e considerado o bairro gay mais famoso do mundo. São Francisco sempre foi bem liberal e aberta a discutir questões polêmicas, por isso tem uma importância histórica bem relevante para os movimentos sociais americanos. O Castro é bem despojado, com as bandeiras representando o público GSL hasteadas e com alguns pontos históricos como o Teatro Castro, na 429 Castro St., construído em 1922 e que hoje sedia festivais de filmes alternativos e estrangeiros.

Castro

Resumo do 2º Dia: Cable Car, Lombard Street, Ghirardelli, Fisherman’s Wharf, Pier 39, Ferry Buiding Marketplace, Civic Center, Alamo Square, Golden Gate Park e Castro! Ufa!

3º Dia. Para nosso terceiro dia programamos cruzar a Golden Gate de bike até Sausalito, porém, nesse dia o vento estava muuito forte, muito frio e foi impossível seguirmos com aquele vento todo na cara, nossa opção foi pegar um daqueles ônibus turísticos, estilo hop on hop of na Union Square até Sausalito, e lá fomos nós, cruzar a ponte de busão! Mas nesse dia essa foi a melhor escolha, pois até mesmo no bus estava meio impossível ficar com as janelas abertas devido ao vento forte e gelado!

A Golden Gate de dois ângulos

E cruzar a Golden Gate foi um emoção por tudo que ela representa. A ponte vermelha que é o símbolo máximo de São Francisco, cartão postal da cidade e que já foi cenário de tantos filmes, é realmente imponente e linda! E olha quem também está lá, admirando essa paisagem:

E muita gente me pergunta: “Sausalito vale a pena ou é mais um daqueles programas de turistas?” Nós curtimos bastante e achamos que valeu a pena sim. A cidade é bem charmosa, tem um clima super agradável, tranquilo, muito bom andar por suas ruas calmas longe da agitação de uma cidade grande, passaria o dia inteiro por ali curtindo seus deliciosos restaurantes, pena que tinhamos hora pra voltar.  Não se prenda, caso tenha atravessado a ponte de bicicleta, aproveite para desbravar a cidade que reserva muitos cantinhos escondidos e surpresas. Como falamos, esse percurso também pode ser feito de ônibus ou de carro – para os dias frios é a melhor opção. 

Susalito
Sausalito
Essa placa que encontramos em Sausalito representa bem os Estados Americanos!
Sausalito

E na nossa última noite em São Francisco, saímos em busca de um pub para dançar e nos divertir! E vou ficar devendo o nome do que acabamos ficando, sorry!! Mas, a cidade é cheia deles, principalmente se você estiver na região da Union Square.

Resumo do 3º Dia: Golden Gte, Sausalito e Pub.

Pub em São Francisco

Outra atração na cidade é visitar Alcatraz, a Ilha localizada no meio da baía de São Francisco que inicialmente foi utilizada como base militar e mais tarde convertida em prisão de segurança máxima. Se tiver tempo mais tempo, siga para o Norte e explore as vinícolas de Sonoma e Napa Valley

São Francisco também tem alguns bairros bem peculiares, como o Chinatown, uma das mais antigas dos Estados Unidos e Japantown que, como os nomes sugerem, resgatam um pouquinho da identidade oriental. Saímos com a impressão de que São Francisco é uma cidade que tem espaço para todos, com muita cultura, rica gastronomia, diversidade e daquelas que não tem como não se encantar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *